(eter)

23 fevereiro 2007

passado no presente


.

5 comentários:

cabaret disse...

... uma porta aberta"
Grande Zeca. Faz hoje os vinte anos que estava em Setúbal e vi passar um mar de gente emocionada a despedir-se de um grande Homem.
Já passaram 20 anos e o Zeca continua a ser um estranho num país que tanto defendeu. Um bom momento de recordação aqui no eter.

cj disse...

Eu estava na sala de espera de um dentista em Setúbal, quando o funeral passou em direcção ao Quebedo (o consultório era nessa avenida) e recordo ir à Escola Comercial, onde estava o caixão, no espaço onde costumava jogar basket.

LF disse...

Eu devia estar na minha casa em Évora...

Grande nome da cultura portuguesa do sec XX. Pelas canções únicas e pela importância histórica no combate ao regime.
Lembro-me do meu pai contar que no final dos anos 60 e ínicio dos anos 70, cada concerto do Zeca era uma seta apontada ao regime. Envolvia sempre Pide, GNR, e em muitas das vezes terminava ao fim de pouco tempo com detenções à mistura.
Adoro o "Venham mais cinco" os "Indios da Meia Praia", "Milho Verde" etc

cj disse...

daqui a pouco aparece por aí o baptista bastos a reclamar direitos de autor...

candida disse...

gostava muito dele pelo que representava, um lutador e um defensor da liberdade. quanto às canções não são, na sua maioria, o meu género.