(eter)

13 setembro 2007

até ao lavar dos cestos

.

Sempre considerei as vindimas como a viragem do ano.
É o verdadeiro (re)começo, a esperança de uma colheita que alegre o restante decurso temporal da nossa volátil existência.
E, para mim, isto é não só metafórico como, também, real.
Nesta altura, entre análises, recolha de uvas e respectiva preocupação perante a vontade da natureza, além da observação resignada da vontade do destino, há também outro facto - a falta de tempo.
Fica a justificação para a lenta publicação de posts.

Que a pinga deste ano seja a melhor.

.

7 comentários:

Farofia disse...

O sabermos que algo muda, o recomeço é sempre uma ajuda pra combater a monotonia. Ainda mais sabendo que esta mudança da-nos tantas alegrias!! Viva o bom vinho!

LF disse...

É por uma causa justa !
Que valha a pena e saiam daí belas "pomadas"

maria disse...

eu gosto das vindimas, do sol nas vindimas.

Anónimo disse...

eu gosto do resultado das vindimas...
rc

cabaret disse...

man e esse vinho já se prova ó quê? Está a começar a época das boas jantaradas com direito a provas de exelência.

cj disse...

Acabei a vindima hoje, precisamente.
Falta ainda tirar umas cubas, mas posso adiantar desde já que vamos ter uma grande pomada.
O vinho deste ano vai ser um pouco diferente no perfil em relação às colheitas anteriores (para quem já as conhece).
Vai ser mais encorpado, mais cor, mais fruta madura e mais alcoólico.
É a vontade do mercado...
Quanto ao Syrah, ainda não posso dizer se haverá edição já este ano, tudo dependendo da qualidade a que se chegar, tendo em consideração que se trata de uma vinha nova.
Mas o que irá acontecer de certeza serão as ditas jantaradas !
Saravá!

prisu kim disse...

E que o vinho seja bom... boa noite