(eter)

11 março 2008

blog reactions

Depois de a habitar durante alguns anos e fazer da bloga um espaço de excreção habitual, eis que alguém - finalmente - me compreende.
A assepsia arredada deste recanto e as provocações subliminares são finalmente compreendidas.
Agradeço profundamente ao Julinho a tarefa, que se tornaria por certo embaraçosa (já para não falar na dificuldade), de explicar as intenções subversivas, provocatórias ou mesmo de um certo desprezo pelos mecanismos formalísticos que se vão criando subliminarmente nesta forma de expressão, e que por vezes se tornam até anedóticos... (olha, agora graças ao Casanova utilizei a dita comma antes da conjunção "e") em que muitos vão caíndo.
Fiquei até comovido.

P.S. - Não posso, porém, deixar passar em claro a estupefacção pela frequência com que sou visitado...mesmo tendo em conta os parâmetros temporais em que a criatura se move.
Só uma justificação bem fundamentada poderá resultar numa acalmia da minha apreensão...

5 comentários:

Mail disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mail disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
julinho disse...

Eu só vinha devolver as chaves da tua psique, porque não quero ter tal responsabilidade. De qualquer forma, para apaziguar esse queixume, e apesar de o cardiologista me ter vedado justificações fundamentadas pelo menos por um trimestre, deixo a nota de que, ao contrário de um cérebro blogosférico funcional, que pode reconhecer ligeiros estreitamentos de passagem entre o pensamento, a acção, e a publicação, no meu caso não há istmos, mas hiatos continentais. É como quem diz, o post estava originalmente escrito desde praí dezembro. So you can drop that frown now...

(desculpa lá os inestéticos apagamentos lá de cima, mas estava a sair identificado como "mail", e já estou suficientemente screwed up com o meu triplo pseudonimato para acrescentar mais um)

cj disse...

fiquei mais descansado com essa minha apreensão, mas mais preocupado com os hiatos alheios.
quando vi 3 comentários, até pensei que isto se iria tornar num estudo acerca da natureza blogosférica, mecanismos inerentes, etc.
fico mais descansado, já que não vou ter que teorizar sobre o fenómeno, o que me custaria tempo precioso (sic).

Anónimo disse...

já agora, só uma ressalva: não se pode pôr em causa a qualidade de uma banda que tem letras como:
"Fui a Almada à procura de mamada, o quéque foi, o quéque foi?
Foi uma vaca que pariu um boi..."

E oiçam bem o registo delico-doce (esta palavra já está errada, tendo em atenção o novo acordo ortográfico, portanto é favor remover o hífen) de "as bóias são noços amigos"
etc. etc.

isto é muito bom.
daqui a vinte anos far-se-á um filme intitulado eu "xamome âtónio" a preto e branco.
obviamente que, até lá, vamos esperar pacientemente que a decadence impere.

cj